A ”incrível” ascensão de Artem Lobov: onde os Q.I têm vez

Artem Lobov enfrenta Cub Swanson no UFC Fight Night 108 (Foto: David Fitzgerald/Sportsfile via Getty Images)

Antes de mais nada, a palavra ”incrível” no titulo desta coluna é em tom irônico, para não ficar nenhum mal-entendido. Posto isso, o russo-irlandês Artem Lobov é tipo aqueles ”amigões” de jogador de futebol, mas que pelo menos pratica o esporte. Está sempre na aba do camarada Conor McGregor, mais astro do UFC na atualidade (que, por sinal, deve fazer mesmo a luta de boxe contra Floyd Mayweather e MMA que é bom, nada) e só está no UFC porque é parceiro do ”Notorious”. Digo isso sem nenhum pesar no coração.

Vamos aos fatos: com o ”impressionante” cartel de 14-12-1-1NC, ”The Russian Hammer” recebe o ”convite” (desculpe-me as demasiadas aspas) para participar da fase eliminatória do TUF 22, do qual um dos treinadores era quem? Conor McGregor, que contou também com Urijah Faber e a famosa frase do irlandês ”Snake on the grass” se referindo à TJ Dillashaw.

O sr. Lobov sentiu a pressao e foi derrotado por Mehdi Baghdad por decisao majoritária, para a decepçao de Conor. E nao foi que o ”regulamento” previa que os técnicos poderiam escolher um lutador que perdera nas eliminatórias para participar do programa? Pois bem, o campeao peso-pena daquela época trouxe Lobov de volta. Fez uma campanha de virar filme, ganhando as tres lutas da casa por nocaute.

Porém, na finalissima, contra Ryan Hall, limitado em pé mas excelente jiu-jiteiro, foi atropelado nos tres rounds e foi derrotado por decisao unanime. Logicamente, Lobov teria um contrato com o UFC e seguiria carreira na organizaçao. Com o cartel como o dele, a la Mark Hunt (nao vou compará-los, por favor! Até porque Hunt é um monstro no MMA e no K1), perdeu ainda para Alex White, mas vem de duas vitórias seguidas (Chris Avila, num combate temeroso, e Teruto Ishihara, a melhor apresentaçao do russo no octógono).

Agora, quem o UFC o põe para enfrentar na sequencia? Cub Swanson, número quatro peso-pena, que vem de grande desempenho contra Doo Ho Choi, no embalo com três triunfos consecutivos. E o que mais o UFC faz por ele? Lhe dá a luta principal da noite, deste sábado (22), em Nashville (EUA), no UFC Fight Night 108.

Sinceramente, não o vejo merecedor para tal importância, muito menos como um prospecto da categoria. Aos 30 anos e com vitórias e derrotas na carreira no MMA quase iguais, Lobov teve essa ”meteórica ascensão” graças ao seu Q.I (Quem Indica). O UFC geralmente faz a lutas principais entre prospectos ou de veteranos de calibre para gerarem audiência.

Lógico que Lobov tem o público irlandês a seu favor, por conta da febre McGregor, porém uma derrota para Swanson (que a meu ver, é o grande favorito para vencer) acabará com esse falso hype e deixará o russo no lugarzinho dele.

Abraços!

 

COMPARTILHAR
Jornalista. Colunista Olimpo MMA.
  • Saulo Henrique

    Virou uma vergonha faz tempo o ufc já. .

  • Rusvag Chmi

    Lobov só tem alguma chance se as patadas de Dooho Choi afetaram seriamente o funcionamento do cérebro de Swanson. Fora isso, o mini-tiranossauro vai cair duro no chão.